Aprenda como evitar o desgaste do assoalho pélvico

Assoalho Pélvico - Fortalecimento do Assoalho Pélvico

O desgaste do assoalho pélvico é uma condição muito comum dentre as mulheres, já que essa musculatura sofre naturalmente alterações durante a gravidez, o parto vaginal e a menopausa. No entanto, há muito o que se pode fazer para evitar o desgaste do assoalho pélvico e prevenir as consequências que ele traz, como a incontinência urinária, a incontinência fecal e o prolapso genital, que afetam diretamente a auto estima, a vida social e a vida sexual da mulher.

Quer saber o que você pode fazer para fortalecer o seu assoalho pélvico? Aprenda tudo com as nossas dicas!

Perca peso

A obesidade age pelo mesmo mecanismo da gravidez mas de forma ainda mais intensa. O peso da gordura abdominal aumenta a pressão sobre a pelve distendendo a musculatura do assoalho pélvico e prejudicando o seu funcionamento.  Além do mais, a obesidade é prejudicial para o funcionamento de todos os órgãos do corpo. A perda de peso reduz a chance de desenvolvimento de hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2, problemas articulares, dislipidemias e diversas outras doenças.

Pratique os exercícios de Kegel

O assoalho pélvico nada mais é do que um conjunto de músculos e como qualquer músculo ele pode ser tonificado com exercícios físicos. Mas calma, não precisa se inscrever na academia para fazer os exercícios de Kegel. Esses exercícios se baseiam apenas na contração e no relaxamento sequencial da musculatura do assoalho pélvico durante alguns minutos diariamente e podem ser realizados em qualquer lugar. No caminho para o trabalho, enquanto você navega pela internet, durante a leitura de um livro ou no almoço com as amigas. Quando feitos corretamente, os exercícios de Kegel são imperceptíveis para as pessoas ao seu redor e são o método mais eficaz no fortalecimento e tonificação do assoalho pélvico. Um profissional de saúde especializado nesta área, poderá lhe orientar em como fazer corretamente estes exercícios.

Dê atenção à postura

Além de sustentar os órgãos pélvicos, os músculos do assoalho também ajudam na estabilização da coluna vertebral lombar-sacral. Problemas de postura, com deslocamento do eixo da coluna, podem então prejudicar a musculatura pélvica.

Evite o cigarro

Além de provocar todos os males respiratórios que você já sabe, o cigarro pode afetar também a sua saúde pélvica. Ao aumentar a produção de muco e irritar as células pulmonares, o cigarro acaba provocando um quadro de tosse crônica nos fumantes. Ao tossir, a pressão intra-abdominal se eleva, aumentando a pressão sobre o assoalho pélvico. Ao longo dos anos, isso contribui para o desgaste da musculatura pélvica.

Prefira esportes de baixo impacto

Corridas e saltos à distância geram um grande impacto sobre a musculatura pélvica, principalmente quando praticados em nível profissional, então sempre que possível opte por esportes de baixo impacto como a natação.

Tenha uma alimentação rica em fibras

As fibras, presente em grande quantidade nos vegetais, nas frutas e nos cereais integrais, são fundamentais para o bom funcionamento intestinal. Em quadros de constipação intestinal em que a mulher fica dias sem evacuar, o intestino fica carregado e aumenta a pressão sobre a musculatura pélvica. Se isso se torna uma constante acaba por desgastar essa estrutura. A fibra alimentar auxilia na prevenção da constipação intestinal e seu efeito é ainda maior se o consumo de fibra for acompanhado por aumento da ingestão de água.

Tenha cuidados na gestação e pós parto  

O peso do bebê durante a gestação e o trabalho de parto podem alterar a musculatura do assoalho pélvico. Os exercícios do assoalho pélvico (Exercícios de Kegel) são benéficos nesta fase especial da vida da mulher, pois contribuem para melhor apoio ao peso extra da gravidez, e para a recuperação do assoalho pélvico após o nascimento do bebê.

 

Já sabe tudo o que você pode fazer para evitar o desgaste do assoalho pélvico? Se você souber de alguma outra dica conte para a gente nos comentários!

Comentários