Assoalho pélvico: o que é e como funciona

Assoalho Pélvico - Fortalecimento do Assoalho Pélvico

O assoalho pélvico é uma das regiões musculares mais importantes do nosso corpo. É ele o responsável por abrigar todo o conjunto de fibras musculares e ligamentos que envolvem o ânus, vagina e uretra e que sustentam órgãos como o reto e a bexiga, além da próstata (nos homens) e útero (nas mulheres).

Para conhecer um pouco mais sobre essa região do corpo, e compreender a importância dela no funcionamento do seu sistema urinário e sexual, confira esse artigo com todas as informações relevantes para você!

Estrutura do assoalho pélvico

O assoalho pélvico é formado por várias fibras musculares e ligamentos que protegem e controlam o funcionamento dos sistemas urinário, excretor e sexual de pessoas do sexo masculino e feminino. Ele é formado por um grupo de músculos bastante elásticos e firmes que sustentam os órgãos da cavidade pélvica, localizada logo acima do assoalho.

Função do assoalho pélvico

Essa camada muscular que forma o assoalho pélvico apresenta, além da função protetora para a cavidade onde se encontram os órgãos pélvicos, a capacidade de contrair e controlar a passagem de urina pela uretra, regular a continência fecal através da contração do esfíncter anal e também aumentar a atividade sexual (especialmente nas mulheres, com a contração do canal vaginal).

Como a musculatura do assoalho pélvico enfrenta, diariamente, efeitos da força da gravidade, já que os órgãos da região exercem uma forte pressão em sua estrutura, é natural que, com o passar dos anos, essa região sofra as consequências de enfraquecimento das fibras musculares, que devem permanecer contraídas durante praticamente todo o tempo. Esse enfraquecimento natural da musculatura pode causar diferentes disfunções na região, que resultam em quadros de incontinência urinária, distúrbios sexuais e até contração exagerada do assoalho.

A importância do fortalecimento da região

A única maneira de evitar as consequências do tempo e do enfraquecimento das fibras musculares no assoalho pélvico é garantindo o fortalecimento da região. Com estruturas mais firmes e com contração controlada, o indivíduo consegue ter mais controle com relação ao funcionamento do canal da uretra, da musculatura de seus órgãos sexuais e também do reto e ânus.

Para diagnosticar o enfraquecimento da musculatura do assoalho é preciso consultar com um médico especialista, como o urologista ou ginecologista — para identificar as possíveis causas das disfunções apresentadas.

Causas do enfraquecimento do assoalho

A musculatura do assoalho pélvico é mais sensível do que imaginamos à perda de sua tonificação.

A gestação e parto podem ser uma das causas do enfraquecimento da musculatura da região, e um dos principais motivos que levam mulheres a apresentar esses distúrbios, pois também sobrecarrega as fibras do assoalho.

As alterações hormonais relativas ao período da menopausa, também favorecem o enfraquecimento do assoalho pélvico feminino.

Outro importante motivo que leva a redução da força do assoalho pélvico é o avanço da idade, que tanto no homem, quanto na mulher, implica em alterações das fibras musculares que são consideradas naturais no processo de envelhecimento.

 

Cuidando do fortalecimento da região

A musculatura do assoalho pélvico pode ser trabalhada com o objetivo de fortalecimento, assim como fazemos com várias outras regiões musculares do corpo. Alguns exercícios, indicados por profissionais de saúde especializados, podem ser realizados em casa ou durante as atividades diárias, e ajudam a trabalhar as fibras musculares, aumentando a força e capacidade de sustentação do assoalho pélvico.

Esses exercícios podem ser realizados por homens e mulheres, para minimizar os efeitos da perda de força das fibras musculares na região e aumentar a qualidade de vida dos indivíduos que apresentam sintomas do enfraquecimento natural dessa estrutura do corpo.

Você conhecia todas as funções do assoalho pélvico? Como tem se preparado para fortalecer as fibras musculares dessa região? Deixe seu comentário!

Comentários